GLOSSÁRIO ILUSTRADO
DOS TERMOS MAIS UTILIZADOS
NO ÂMBITO DA MARCAÇÃO DOS METAIS PRECIOSOS
Burilada: conhecida por “bicha”, consiste numa
linha em “zig-zag” feito com o buril com o intuito de
testar a liga de prata. Essa amostra seria de seguida
aquecida e comparada com “amostras padrão”.
Casa da Aferição: local onde se levavam as balanças ou braços
de balanças para serem aferidos e posteriormente marcados por se
encontrarem dentro da lei.
A Caza da Afferição deve-se abrir de Verão às 7 horas, e de Inverno
às 8 devendo estar presentes todos os Officiaes, afim de tratarem
da limpeza e aceio da Caza. •He prohibido fumar nesta Caza.
– Artigo 1º e 19º sobre o funcionamento da Casa da Aferição.
Casa dos 24: Local aonde os variados
ofícios se reuniam para decidirem sobre
os seus mesteres.
                        História:
Clique na esquerda para o Porto
        e na direita para Lisboa
Contrastaria: criada em 1886, após a extinção das
Corporações de Ofícios em 1834, por D. Pedro IV. Tem
como principais funções a de atestar a qualidade dos
metais das peças. O primeiro contraste foi o Javali
(1887-1937), Águia (1938-1984) e pós-1985 É também
aqui que os ourives vão registar as suas marcas.
Contraste: Designação das marcas de
garantia das Contrastarias da Casa da
Moeda.
Até 1881 Contrastes era o nome dado aos
avaliadores, que não podiam apor qualquer
marca nas peças por si avaliadas.
Juiz do Oficio: pessoa eleita por cada
oficio “embandeirado”  para os representar
junto da Casa dos Vinte e Quatro.
Marca de “dez dinheiros”: liga de prata
utilizada inicialmente no Brasil. Foi apenas após
1830 que foi permitida em Portugal.
Corresponde actualmente a 833 ‰, ou seja, 833
partes de prata para 167 de cobre.
Marca de “onze dinheiros”: Toque
estipulado no reinado de D. Pedro II.
corresponde à liga de prata de 917 partes
de prata para 83 de cobre. Actualmente
equivale 916 ‰
Marca de ensaiador: marca registada no
Senado da Câmara e aplicada na prata que
possui a liga de lei, ou seja,  que possuía  os
“dez dinheiros e seis grãos”. A primeira data
marca de ensaiador do Porto é de 1402 e de
Lisboa é de 1460
Marca de ourives: marca aplicada pelo
artista quando termina a peça antes de a
mandar “ensaiar”, registada também no
senado da Câmara.